Onde a poesia tem cheiro de café...

terça-feira, 22 de julho de 2014

Metamorfose

Com 0 Comentario

Ela se sentia presa e sufocada. Sem saber como chegou naquele lugar, mal podia se mexer. “Que lugar estranho é esse?” indaga para si mesma. “está muito apertado, vou acabar sufocando”, estes e muitos outros pensamentos pairavam a mente dela. Quando eu era livre me locomovia sem receio o podia comer o que quisesse, “onde estou?” ela gritou. Presa naquele lugar ela não podia fazer mais nada, e uma coisa estranha estava acontecendo com ela, mas o que seria isso? O ambiente é escuro e apertado. “Como eu vim para aqui?” ela perguntava sem obter nenhuma resposta. O tempo passou e um dia ela se mexeu um pouco e de repente algo se quebrou, eram as paredes que a prendiam. Quando ela finalmente saiu da clausura, compreendeu tudo. Ela havia mudado muito, mas se sentia muito bem. Ao notar o quanto estava mudada ela ficou muito feliz de ter passado tudo aquilo. Esticou seus novos membros e saiu voando e enfeitando o céu, agora ela é uma linda borboleta azul.

Por: João Batista de Freitas - My Friends.

+1

0 comentários :

Postar um comentário

Postagens populares