Onde a poesia tem cheiro de café...

sábado, 5 de julho de 2014

O sal dos olhos

Com 0 Comentario


Nasce de sentimentos diversos.
Carrega em si o verso das emoções sentidas.
Derrama-se em faces diárias.
Universalidade é marca dela, tão humana, tão dolorida, tão intensa.
Sempre escorre pelo longo caminho.
Às vezes feliz, outras vezes rancorosa, raras vezes sem motivos.
Do nascedouro até o destino final ela é quente, mas ao tocar o canto da boca, a língua,
rapidamente, prova o sabor salgado que ela carrega.


Autor: João Batista de Freitas - Formado em Letras, poeta, teólogo,  mas sua especialidade mesmo é ser amigo. 

+1

0 comentários :

Postar um comentário

Postagens populares