Onde a poesia tem cheiro de café...

sábado, 13 de setembro de 2014

Pintura Íntima

Com 0 Comentario

Diga-me, por que se fez metade em noite de lua cheia?
Por que insiste em pintar seu mundo de cinza em dia de arco-íris?
Por que fechou a janela enquanto lá embaixo a vida lhe oferecia uma serenata?
Em silêncio ela estava e em silêncio permaneceu, pintando a face que retratava  sua existência.
Rompi o silêncio e novamente indaguei: por que insiste tanto em maquiar sua tristeza?
Com lábios brilhantes, mas com o olhar apagado e distante, ela respondeu:
"(Re) pinto" a minha face todas as noites, pois a vida que eu levo se apaga em cada cama.

Adriano Alves. 

+1

0 comentários :

Postar um comentário

Postagens populares