Onde a poesia tem cheiro de café...

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Com 1 Comentario

Ela era minha ca(l)ma.

Adriano Alves.

#colodemãe

+1

Um comentário :

  1. Cama é o lugar de descanso, de intimidade e de diálogo. Quantas vezes nos jogamos sobre a nossa cama para relaxar? Ou para conversar pelo telefone ou por mensagens? Cama nos recebe sem olhar como estamos. Seja feliz, triste, limpo ou sujo. Nossa cama é um lugar secreto.
    No poema, a coisa vai além, uma vez que diz que o colo da mãe é uma cama. Esta cama não fica parada esperando que nos deitemos nela, ela toma a iniciativa e nos deita sobre ela. Mãe sempre se faz cama.
    No poema lemos “Ca(I)ma”, o que nos lembra o verbo “calma”. Que imagem mais linda quando a mãe toma o filho (a) no colo (cama) e pede calma. Ele (a) chora com medo, com fome, com dor, com frio, com calor ou por dengo e a mãe sussurra: “calminha, a mamãe tá aqui”. Não existe conforto maior.
    Que vontade de deitar nesta cama agora!

    Mãeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!

    ResponderExcluir

Postagens populares