Onde a poesia tem cheiro de café...

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Orgulho.

Com 1 Comentario

O orgulho é um coveiro que tem prazer em sepultar gente viva!

Adriano Alves. 



+1

Um comentário :

  1. Certo dia um leopardo do gelo aparece na porta de um mestre do kung fu. Este mestre decide criar o pequeno animal de rosto inocente e logo o toma como aprendiz. O pequeno leopardo tem um talento fora do comum e se torna um dos melhores lutadores de kung fu. O mestre dele acreditava que ele deveria ser predestinado a ser um mestre do kung fu e nele se cumpriria profecia que dizia que surgiria um mestre formidável chamado “o dragão guerreiro”. O leopardo ficou tão orgulhoso com isto que negou os valores que tinha a prendido com o mestre dele, ele queria ser o mais poderoso de todos. Como o orgulho é a mãe de todas as atitudes não virtuosas, o leopardo tornou-se violento, vingativo, arrogante e amante de si mesmo. Esta é a história de Tai Lung, o discípulo de Shifu, ambos são personagens do filme de animação “kung fu panda”.
    A história de Tai Lung mostra o quanto este aforismo tem razão. Um ser tão especial como Tai Lung, foi enterrado pelo coveiro chamado orgulho. O orgulhoso, quando olha para si próprio, ver-se maior do que realmente é. Quando olha para os outros, olha-os menores do que eles realmente são. Ele sempre acredita que estar acima dos demais e olha de cima para baixo. É por isso que não vê quem está sobre ele, uma vez que, quem olha para baixo, não pode ver o que está acima dele. O homem orgulhoso, mesmo quando conquistou mais do que poderia desejar, tentará conseguir sempre mais só para garantir o seu poder. Tai Lung deu prazer ao coveiro e foi enterrado.
    Quantas vezes desenvolvemos a síndrome de Tai Lung em nossa vida diária? Quantas vezes acreditamos que somos o alvo de uma profecia? Que somos “o dragão guerreiro”? Quantas vezes acreditamos que a forma como interpretamos o mundo, a vida e as relações é a verdadeira?
    Tai Lung não podia mais entender que era Shifu quem tinha a razão, uma vez que estava enterrado vivo, pelo orgulho. É por isso que o aforismo diz: “O orgulho é um coveiro que tem prazer em sepultar gente viva!”, ora, subentende-se que para que alguém seja enterrado, deve estar morto, mas o orgulho enterra os vivos. Que paradoxo elegante e assustador: ser orgulhoso é ser um zumbi. É não ser um vivo comum, mas um enterrado na vida. Que forma horrível de morrer.
    Fica uma provocação: Ser um Tai Lung ou um Shifu, esta é a questão.

    ResponderExcluir

Postagens populares