Onde a poesia tem cheiro de café...

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

A-corda(r) é preciso?

Com 3 Comentarios

Ele acorda assim sem jeito.
A corda é uma tentação que tenta de perto.
Acorda sem ritmo, sem se ela, sem ele, sem nós!
A corda colocaria fim ao final que chegou tão logo.
Acorda na hora exata da lembrança do dia sem a cor definitiva e perene.
Acorda e lamenta não poder dormir outro sono que traga, ao menos em sonhos, a face partida no rosto de agora.
A corda permanece flertando o meu coração enforcado em saudades que o sufocam.

João Batista. 

+1

3 comentários :

  1. A corda flerta com os olhos que por não terem coragem de coloca-la sob o pescoço só olha com um olhar sem brilho, e a única forma de refletir aquilo que está em sua alma é pelo reflexo de sua lágrima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. William, suas palavras fizeram com que eu desatasse mais um nó da corda só para ver outros pensamento (palavras) como esta. Obrigado, estou respirando melhor!

      Excluir
  2. O comentário do William é, na verdade, um poema profundo. Pode-se notar que há uma personagem que é covarde e em razão disso olha sem brilho no olhar uma corda, mas por não ter coragem de ir até o fim daquilo pensa, torna-se um blefe. E se o choro que reflete a alma estiver mostrando a covardia escondido na lágrima? Existem lágrimas que são cheias de covardias. Que coisa horrível dever ser olhar as coisas sem brilho no olhar. É por isso que o poema do William nos alerta para tomarmos cuidado para que alma não se reduza a lágrimas covardes. A uma vida sem brilho no olhar.

    ResponderExcluir

Postagens populares