Onde a poesia tem cheiro de café...

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Superstição

Com 0 Comentario
Antes de fechar o caixão ele a beijou e sussurrou: Desculpa-me, mamãe, por não ter desvirado o chinelo.


Adriano Alves. 

+1

0 comentários :

Postar um comentário

Postagens populares